• 27 jan 20

    Se você é idoso e já tomou a vacina contra a febre amarela em 2019, não será necessário fazê-lo novamente (pode haver exceções, mas muito raras, e devem ser observadas por um médico). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Agora, caso ainda não esteja imunizado, a recomendação é de que o faça. Estamos no verão, uma estação do ano em que há aumento dos casos da doença. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

    ⠀⠀
    Lembro que o idoso deve ser vacinado nas mesmas condições do restante da população, ou seja, em caso de viagem ou quando este mora em locais de risco, sendo indicada uma avaliação da sua condição de saúde pelo médico que o acompanha – pois este irá analisar os riscos e benefícios caso a caso. No geral a população idosa deve ser vacinada. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

    A vacina contra febre amarela é constituída por um vírus vivo atenuado, o que pode aumentar a chance de haver algum efeito colateral. No caso dos idosos, por poderem estar com imunidade mais baixa, este risco de reação adversa – como dor de cabeça, dor muscular e febre – aumenta. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Geralmente, os eventos adversos comuns ocorrem em 2% a 5% dos vacinados entre cinco e 10 dias após vacinação. É preciso, entretanto, esclarecer que este quadro pode acometer uma entre 250 mil e um milhão de pessoas, ou seja, é bastante raro. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

    ⠀⠀
    Quer saber mais sobre a vacina contra a febre amarela? Acessem http://bit.ly/maisakairalla-febre-amarela-orientacoes e confiram as orientações elaboradas pela Comissão de Imunização da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), da qual sou em presidente e da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), entidade da qual também sou membro. Se dúvidas, nos escreva.

Categorias