• 18 maio 21

    O que fazer para combater a ansiedade:
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    1) Identificar possíveis gatilhos que deixam você ansioso para começar a evitá-los;
    2) Permanecer ativo;
    3) Manter vínculos sociais/ter amigos;
    4) Realizar atividades que tragam sensação de bem-estar como caminhar ao ar livre, ler um livro, cozinhar, conversar, dançar, viajar;
    5) Sempre que preciso, ter acompanhamento de um profissional especializado em saúde mental.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    A ansiedade é considerada um dos principais desencadeadores do comprometimento da saúde mental tanto dos idosos quanto das pessoas de outras faixas etárias, o que inclui a infância, adolescência e vida adulta. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Há casos em que a ansiedade pode ser considerada positiva? Sim, como quando você está na expectativa para iniciar uma viagem ou mesmo esperando o resultado de uma prova ou exame. Ela se torna negativa quando passa a comprometer a realização das atividades diárias.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Entre os fatores indicados pela The Geriatric Mental Health Foundation (Fundação de Saúde Mental Geriátrica, na tradução livre) que podem gerar o transtorno, podemos citar:

    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • Estresse extremo ou trauma ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • Luto ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • Consumo excessivo de cafeína e álcool ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • História familiar de transtornos de ansiedade ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • Outras doenças médicas ou mentais (como depressão) ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    • Distúrbios neurodegenerativos (como Alzheimer ou outras demências). ⠀⠀
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Sinais como inquietação, irritabilidade, explosões emocionais negativas (como frustração), dificuldade de concentração, fadiga, dificuldade para dormir e dor muscular são alguns dos indicativos de que o idoso pode estar sofrendo com o transtorno.

Categorias